Pesquisa mostra como restaurantes se adaptaram à pandemia

A chegada da pandemia de covid-19 impactou diretamente o segmento de alimentação, em especial os restaurantes que foram obrigados a efetuar mudanças para minimizar os prejuízos diante deste cenário inesperado. Levando em consideração este período, a consultoria Galunion realizou uma pesquisa em parceria com a Associação Nacional de Restaurantes (ANR) e o SindRio.

O levantamento mostra quais foram alguns dos desafios que as empresas localizadas no Rio de Janeiro tiveram que superar durante a retomada dos negócios.

Inicialmente, os resultados mostraram que 31% dos entrevistados que contavam com mais de um restaurante precisou fechar, pelo menos uma unidade, durante a pandemia. Em consequência disso, 24% tiveram redução no faturamento entre 50% e 75% se comparado ao mesmo período do ano anterior; e 22% teve uma redução de 26% e 50% do faturamento. Como alguns locais registraram prejuízo, houve uma diminuição no quadro de funcionários, já que 51% demitiu na crise. Como pudemos observar ao longo dos meses, o delivery ou take Away (quando você apenas retira a refeição) foram as alternativas encontradas para atravessar o período. Sendo assim, 86% utilizaram tais canais como modalidade de vendas no seu negócio.

Ainda neste interim, as três formas mais utilizadas para captar pedidos pelos restaurantes de diferentes segmentos são iFood (86%), WhatsApp (64%) e Telefone (56%). Quando perguntados sobre a percepção de crescimento da modalidade após a reabertura para público, 39% disseram que houve uma diminuição no faturamento em mais que 10%; 19% registraram queda até 10% do faturamento; em 23% dos estabelecimentos o faturamento se manteve; e em 15% o faturamento cresceu mais que 10%. Vislumbrando um cenário com a aplicação da vacina neste ano, a estimativa é de que o delivery irá representar do 34% faturamento dos restaurantes no Rio de Janeiro, em 2021.

“Quando pedimos para que os entrevistados listassem os três maiores desafios para 2021, os mais citados foram evoluir e ampliar os canais de vendas, dentro ou fora dos restaurantes (76%), ajustar a oferta com menu atrativo, competitivo e rentável (60%) e ampliar os canais de relacionamento e fidelização de clientes (60%). Como recomendação, a palavra de ordem que estamos ouvindo é a resiliência. E resiliência no sentido de realmente compreender o impacto de algo na vida, superar com mais rapidez e agir em cima das consequências de uma maneira positiva. Então vemos que o ano de 2021 será de adaptação para o segmento e vai exigir a leitura com hiper atenção ao ambiente de negócios. Pensando em tendências, vemos o cliente seguir comprando para consumir fora do local, o aprimoramento do delivery e das experiências geradas pelo delivery. Outro ponto é o aperfeiçoamento da segmentação das ofertas de serviços para entregar ou para retirar para que o consumidor possa ser atendido nas suas ocasiões de consumo e em suas necessidades”, finaliza Simone Galante, CEO da Galunion Consultoria e responsável por esta pesquisa.

O presidente do SindRio e diretor executivo da ANR, Fernando Blower, revela que dentre os respondentes, 46% atribuiu à falta de confiança do cliente em voltar a frequentar bares e restaurantes uma das maiores dificuldades enfrentadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale conosco! Available from 08:00 to 22:00